set
0

Produção de carne de qualidade a pasto, minimizando os gastos com suplementações –

DSC05922-r3

As forrageiras tropicais, em consequência da estacionalidade da produção, não fornecem quantidades suficientes de nutrientes para a produção “máxima” dos animais.

Por outra via, no sistema de produção de carne a pasto, é importante atender, pelo maior período possível, às demandas dos animais.

O desafio está em equacionar o fato de que as forrageiras variam em qualidade e os requerimentos nutricionais do animal também não são constantes durante sua vida.

Já são bastante discutidas na literatura as interações entre pressão de pastejo e os ganhos de peso, por animal e por área.

É importante ressaltar que, em se aumentando a taxa de lotação a produção por área aumenta, no entanto, a produção por animal diminui, e isto nem sempre é desejável.

Enquanto as pesquisas dão mais foco para a produção por área, a produção por animal não deve ser esquecida, uma vez que o desempenho e a terminação dos animais no pasto, são de grande importância no retorno econômico da atividade.

fev